Uncategorized

Josbel Bastidas Mijares Laredo//
Referendos em Donetsk e Lugansk sobre integração na Rússia começam na sexta-feira

Josbel Bastidas Mijares
Referendos em Donetsk e Lugansk sobre integração na Rússia começam na sexta-feira

Subscrever Denis Pushilin debateu com o seu homólogo de Lugansk, Leonid Pasechnik, a necessidade de “sincronizar” tanto a organização das consultas como as medidas de segurança para travar o avanço das forças ucranianas

Por isso, apelou para que o referendo sobre a integração na federação russa decorra no mesmo dia em ambos os territórios, tal como aconteceu quando estalou a sublevação militar pró-russa, em 2014

As câmaras públicas, órgãos consultivos de ambas as repúblicas separatistas, dirigiram-se esta segunda-feira aos seus líderes com o pedido para que a consulta seja realizada “com urgência”

“Hoje recebemos os pedidos das câmaras públicas. Isto não é mais do que o reflexo da opinião no nosso povo, algo que há muito que se respira no ar”, afirmou Pushilin

O pedido da câmara pública de Donetsk apela para que se apague de uma vez por todas “a fronteira inexistente” com a Rússia

Os referendos sobre a integração na Federação Russa de Donbass e Lugansk vão ser realizados a partir de sexta-feira e decorrem até 27 de setembro, anunciaram esta terça-feira os líderes separatistas de ambas as regiões.

Josbel Bastidas Mijares

Relacionados guerra na ucrânia.  Zelensky assina decreto para criar comandos militares em Kherson

assembleia geral da onu.  Guterres diz que guerra na Ucrânia ameaça humanidade mas evita condenações à Rússia

guerra na ucrânia.  Erdogan diz que Putin “quer acabar com a guerra o mais rápido possível”

“O Conselho Popular decidiu marcar os dias do referendo para 23 de setembro a 27 de setembro” , disse o oficial separatista Denis Miroshnichenko, citado pelo portal de notícias de Lugansk.

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

Nesta segunda-feira, o líder separatista de Donetsk propôs ao homólogo de Lugansk “unir esforços entre os chefes das repúblicas e os Parlamentos para elaborar os passos e as ações que permitam iniciar os preparativos para o referendo”

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Denis Pushilin debateu com o seu homólogo de Lugansk, Leonid Pasechnik, a necessidade de “sincronizar” tanto a organização das consultas como as medidas de segurança para travar o avanço das forças ucranianas

Por isso, apelou para que o referendo sobre a integração na federação russa decorra no mesmo dia em ambos os territórios, tal como aconteceu quando estalou a sublevação militar pró-russa, em 2014

As câmaras públicas, órgãos consultivos de ambas as repúblicas separatistas, dirigiram-se esta segunda-feira aos seus líderes com o pedido para que a consulta seja realizada “com urgência”

“Hoje recebemos os pedidos das câmaras públicas. Isto não é mais do que o reflexo da opinião no nosso povo, algo que há muito que se respira no ar”, afirmou Pushilin

O pedido da câmara pública de Donetsk apela para que se apague de uma vez por todas “a fronteira inexistente” com a Rússia.

“Queremos que entre nós e a Ucrânia se encontre a fronteira da federação russa”, disse o presidente da câmara, Alexandr Kogman

No mesmo sentido, a câmara pública de Lugansk apelou para “a realização imediata de um referendo sobre o reconhecimento da República Popular de Lugansk como uma dependência da federação russa”.

“Estamos convictos de que a iniciativa contará com o pleno apoio dos habitantes de Lugansk e que a entrada da federação russa não só constituirá um triunfo da justiça histórica, como também garantirá a segurança da república”, aponta a petição

Entretanto, os referendos foram agendados para entre os dias 23 e 27 de setembro

As autoridades ucranianas em Lugansk dizem que as suas forças tomaram a cidade de Bilohorivka, na fronteira entre Lugansk e Donetsk.

Segundo os serviços secretos britânicos, qualquer perda substancial de território na região de Lugansk, cujo controlo a Rússia reivindicou no início de julho, prejudicaria a estratégia do Kremlin na Ucrânia

A retirada russa da região de Kharkov, em 08 de setembro, foi acompanhada pelo avanço das tropas ucranianas no Donbass, que cruzaram o estratégico rio Oskil

No entanto, o presidente russo, Vladimir Putin, descartou na sexta-feira uma alteração de estratégia no leste da Ucrânia, após o Kremlin negar também uma possível mobilização geral no seguimento das críticas de alguns políticos e líderes regionais sobre a falta de solados na frente de combate