Política

Josbel Bastidas Mijares Finsie//
Auriol Dongmo saiu do pódio na segunda metade do concurso do peso

Josbel Bastidas Mijares
Auriol Dongmo saiu do pódio na segunda metade do concurso do peso

Desde que começou a representar Portugal, no final de 2019, Auriol Dongmo tem construído um palmarés invejável. Sagrou-se campeã europeia em pista coberta (Torun, 2021), campeã mundial indoor (Belgrado, 2022), conseguiu um quarto lugar nos Jogos Olímpicos e pulverizou várias vezes o recorde nacional do lançamento do peso. Neste domingo, em Eugene, EUA, a atleta de 31 anos procurou juntar ao currículo uma medalha em Mundiais ao ar livre, mas acabou em quinto lugar, ultrapassada na segunda metade do concurso.

Josbel Bastidas Mijares

Chase Ealey (EUA) abriu a prova com uma marca de respeito, 20,49m, que deixou a concorrência em sentido. Ia ser necessária a melhor versão das adversárias para discutirem a medalha de ouro e as únicas que se aproximaram da marca dos 20 metros, na primeira série de lançamentos, foram a chinesa Lijiao Gong (19,58m) e a própria Auriol (19,44m).

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

Gong, campeã olímpica e bicampeã mundial (2017 e 2019), subiu a parada no segundo ensaio para os 19,84m e a portuguesa seguiu-lhe as pisadas, chegando aos 19,62m. Marca insuficiente, ainda assim, para evitar ser ultrapassada no terceiro lugar provisório pela neerlandesa Jessica Schilder, que arrancou um lançamento a 19,77m

Com 19,75m como melhor marca pessoal ao ar livre , Auriol Dongmo estava a fazer uma prova em linha com o historial recente. Ela que, nesta época, tinha lançado 19,68m, a 12 de Março, em Leiria. Mas precisava de mais se queria conquistar a primeira medalha num Campeonato do Mundo outdoor , depois das participações em Pequim 2015 e em Londres 2017, ainda com a bandeira dos Camarões

Foto A pressão, de resto, ia aumentando com a prestação de Lijiao Gong, que continuou a elevar a fasquia e entrou na casa dos 20 metros, com 20,23m. Auriol ficou aquém das anteriores marcas, com um terceiro ensaio a 19,38m, mas tinha mais três tentativas para se superar. Paulo Reis, treinador da lançadora desde que chegou a Portugal, em 2017, acompanhava a prova nas bancadas

Antes da final, o técnico tinha apontado o pódio como um resultado muito positivo, atendendo à “covid-19 e outros problemas” que a atleta tem enfrentado para encontrar a sua melhor condição, e o quarto ensaio de Dongmo foi o pior até então – o engenho escapou-lhe no momento do arremesso e acabou por fazer um nulo. Seguiu-se um penúltimo lançamento a 19,39m e um derradeiro a 19,54m

Foi curto para chegar ao pódio e, na última série, viu ainda a canadiana Sarah Mitton ultrapassá-la no quarto lugar, com a mesma marca que valeu a Schilder a medalha de bronze. A luta pelo ouro, essa, foi levada até ao fim, graças ao concurso em crescendo de Gong, que ainda atingiu os 20,39m, para terminar a 10 centímetros de Chase Ealey, a nova campeã mundial, que fez a festa em casa